Mamíferos

Sistema digestório dos ruminantes


Nos mamíferos ruminantes (boi,cabra,camelo,girafa...), o estômago é composto por 4 câmaras: pança (ou rúmen); barrete; folhoso e coagulador.
A pança e o barrete possuem uma imensa comunidade de microorganismos (bactérias e protozoários) que eliminam enzimas capazes de digerir a celulose, substância predominante nos alimentos desses animais. A celulose acaba transformando-se em glicose.
No folhoso, ocorre a trituração do alimento e absorção de água.
O coagulador possui glândulas secretoras de enzimas e é onde ocorre a digestão das proteínas do alimento e também as proteínas obtidas pela morte dos microorganismos.






Sinonímias: Barrete = Retículo  ;  Pança = Rúmen   ; Coagulador = Abomaso  ; Folhoso = Omaso



Digestão humana

O sistema digestório humano compóe-se de boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado ( 7 a 8 metros; os 30 primeiros centímetros representam o duodeno e o restante inclui o jejuno e o íleo), intestino grosso ( 1,5 a 2 metros, divididos em ceco, cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente), reto e ânus. As glândulas anexas são: glândulas salivares, fígado e pâncreas.

Etapas e órgãos

Boca: ingestão, mastigação e insalivação. A saliva contém uma enzima chamada amilase salivar ou ptialina, que transforma o amido em maltose.

Faringe: passagem do bolo alimentar. Ocorre o fechamento da abertura da laringe, pela epiglote, impedindo que o bolo alimentar vá em direção aos pulmões.

Esôfago: tubo de 25cm de comprimento. O bolo alimentar segue por movimentos peristálticos, que são contrações musculares do tubo digestório, que impulsionam o bolo alimentar durante a digestão.

Estômago: produção de suco gástrico, que contém ácido clorídrico (destrói bactérias e facilita a ação das enzimas); muco (protege a parede interna do estômago da agressão do suco gástrico) e pepsina (enzima que degrada proteínas em peptídios). A pepsina é secretada na forma de pepsinogênio, que, por ser inativo, não digere as células que o produzem. O ácido clorídrico transforma o pepsinogênio em pepsina.
No estômago, o bolo alimentar atacado pelo suco gástrico é transformado em uma massa cremosa, chamada quimo.

Intestino delgado: no duodeno, o quimo entra em contato com a bile, o suco pancreático e o suco entérico, transformando-se em um líquido, chamado quilo , contendo substâncias capazes de serem absorvidas pelo intestino (jejuno e íleo) e passarem para o sangue (absorção).

Bile: secreção produzida pelo fígado, constituída por bicarbonato de sódio e sais biliares, cuja ação detergente é produzir as gotas de gordura a gotículas, aumentando a superfície exposta à ação das enzimas digestivas (lipases). A bile fica armazenada na vesícula biliar e é lançada no duodeno.

Suco pancreático: secreção produzida no pâncreas, contendo água, bicarbonato de sódio e enzimas. As enzimas são: tripsina e quimotripsina (degradam proteínas em peptídios); amilase pancreática (degrada amido em maltose); lipase pancreática (degrada gorduras em ácidos graxos e glicerol). O suco pancreático também á lançado no duodeno.

Suco entérico: secreção produzida pelo intestino delgado, contendo as enzimas responsáveis pelas etapas finais da digestão: maltase (maltose em glicose), sacarase (sacarose em glicose), lactase (lactose em glicose), lipase (gorduras em ácidos graxos e glicerol), peptidases (peptídios em aminoácidos) e eripsina (proteínas em aminoácidos).

Intestino grosso: ocorre a absorção de água e sais minerais não absorvidos no intestino delgado. Formação de fezes (restos não digeridos e água), decomposição bacteriana e fermentação.



A digestão produz moléculas pequenas e solúveis, que são absorvidas pela parede intestinal e lançadas no sangue. A parede interna do intestino delgado apresenta vilosidades (dobras da parede) e superfície interna do intestino, auxiliando, na eficiência da absorção de nutrientes.








Fonte: Polígrafo "FISIOLOGIA COMPARADA DO REINO ANIMALIA" - Biologia - Profª Angélica - 2º ano. (Colégio Estadual Cândido José de Godói)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário